Terapia de Bowen e a Fibromialgia

10-01-2022

A Fibromialgia é uma doença crónica caracterizada por dor músculo-esquelética generalizada e difusa, por fadiga extrema com perturbações de sono, perturbações cognitivas, entre outros sintomas.

A Fibromialgia traz ao doente dor constante e incapacitante, afetando a qualidade de vida do doente, ela não causa deformação nem reduz a esperança de vida. As queixas da Fibromialgia variam de doente para doente e podem ser ligeiras ou graves, definindo assim um espectro funcional que vai do mero incómodo até à incapacidade para manter um emprego remunerado, atividades domésticas ou mesmo para desfrutar o convívio com a família e com os amigos, o que torna a doença heterogénea nas suas manifestações. Os seus sintomas podem variar de intensidade e podem mesmo desaparecer ou diminuir temporariamente e reaparecerem mais tarde. As remissões são raras, embora por vezes existam ligeiras melhorias nomeadamente da dor e da fadiga. Os factores que podem agravar os sintomas são mudanças de tempo, humidade, frio, alterações hormonais, stress, depressão, ansiedade, tensão ou um esforço

As características da Fibromialgia que mais interferem com o seu prognóstico são o modo de início, os sintomas e a gravidade dos mesmos, a presença de angústia e de perturbações do humor, a existência de incapacidade para o trabalho e lazer, tal como a concomitância com outras doenças.

A terapia de Bowen é uma terapia manual suave e indolor. São aplicados movimentos em pontos chaves do seu corpo seguidos de uma ligeira pausa para que o seu corpo tenha tempo de processar essa informação e produzir o efeito terapêutico desejado.

Quando abordamos um paciente com fibromialgia é muito importante termos o apoio de uma equipa multidisciplinar a acompanhar pois é importante alterarmos alguns parâmetros da alimentação, promover o exercício, pois embora estejamos com dor o nosso corpo deve se manter activo e hidratado para que se consiga auto regenerar. Uma das coisas importantes que é pedido logo no primeiro dia é tentar introduzir alimentos anti inflamatórios para ajudar a baixar a inflamação do corpo e diminuir o consumo de medicamentos de síntese química, aumento do consumo de água, pois esta vai hidratar uma estrutura muito importante do nosso corpo que se chama fáscia - que é considerado um terceiro sistema nervoso, é este tecido que é responsável pela condução do impulso nervoso gerado durante os movimentos aplicados no tratamento ao nosso sistema nervoso central, e mesmo quando o paciente sai do consultório, este impulso continua a ser transmitido e processado, daí a importância da água, quanto mais fluído estiver este tecido melhor é feita esta transmissão do impulso nervoso e mais depressa vemos resultados.

A terapia de bowen é muito eficaz em doentes com dor crónica, pois conseguimos medir qual o nível de dor numa fase inicial e ao fim de 3 a 4 sessões já conseguimos ter resultados positivos.

Com a fibromialgia temos de trabalhar pouco de cada vez, pois quem tem esta patologia é muito sensível à dor e o seu corpo gera inflamação com muita facilidade por essa razão se fizermos muita coisa a pessoa vai ficar com mais dor, e não é de todo isso que nós queremos. Pelo contrário, assim sendo, quando começamos a trabalhar uma pessoa com fibromialgia precisamos de pelo menos 8 a 10 sessões para começar a ver resultados. Estes pacientes ao longo da terapia vão experienciar algo muito interessante - a dor vai mudando de lugar, e esta é uma reacção normal, pois como o processo inflamatório está sempre em alerta, quando trabalhamos uma área é normal começar a sentir sensibilidade noutra, e por esta razão temos de ir adaptando o tratamento à medida que vamos avançando no tempo.